vagas de empregos cadastradas

8648 currículos cadastrados

UF
SELECIONE UM ESTADO
01/10/2012 | Fonte: Imprensa CST

Lutar para garantir os direitos trabalhistas

A proposta de flexibilização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), em análise na Casa Civil, tem o objetivo de retirar direitos dos trabalhadores conquistados em anos de muita luta.

Ao contrário do que afirma o governo federal, de que a proposta visa a aumentar a competitividade brasileira, os empresários e parte da mídia que os defendem querem é reduzir o custo da mão de obra.

Como representantes de parte dos trabalhadores brasileiros não podemos concordar com tal proposta, pois defendemos a manutenção dos atuais direitos e a conquista de outros  benefícios que fazem parte da pauta trabalhista, aprovada pela Força Sindical e pelas demais centrais.

Concordar com a idéia de que o negociado vale mais do que o legislado equivale a abrir uma brecha capaz de impulsionar um processo de corte violento dos direitos trabalhistas. Na verdade, o diferencial de competitividade dos países não está no custo da mão de obra, garante o Dieese.

Se assim fosse, os Estados Unidos e o Japão estariam entre as nações menos competitivas do mundo porque o custo do trabalho deles está entre os maiores do mundo. A competitividade está relacionada aos países que possuem um sistema financeiro a serviço do financiamento do capital de giro e de longo prazo com taxas de juros acessíveis.

Além disso, estes países precisam ter institutos de pesquisas e universidades voltadas para o desenvolvimento tecnológico,  população com alta escolaridade, trabalhadores especializados  e infraestrutura desenvolvida. Além disso, é preciso destacar que as reformas trabalhistas na América Latina e nos países ricos não geraram postos de trabalho.

Comentários

Envie seu comentário sobre este conteúdo pelo formulário abaixo:
Seu comentário [256]

Postos de Atendimento Físico

  • Liberdade

    Galvão Bueno, 782 Segunda a sexta-feira Das 7h às 16h
  • Santo Amaro

    Barão do Rio Branco, 864 Segunda a sexta-feira Das 7h às 16h
  • Capão Redondo

    Estrada de Itapecerica, 3770 Segunda a sexta-feira Das 7h às 16h

Ouvidoria CST

SUGESTÕES

Centro de Solidariedade ao Trabalhador
© Todos os Direitos Reservados